terça-feira, 6 de maio de 2014

Cansado desta visão de Reino

                              Cansado desta visão do Reino  

              Isto mesmo, estou cansado. Não consigo compreender como alguns cristãos (em sua maioria) buscam um avivamento vindo da parte de Deus, uma nova unção, uma nova experiência que só esteja ligado ao extraordinário e não experimentam conhecer a Deus na sua verdadeira visão de Reino.
              O que direi, talvez, seja um pouco arrogante ou você venha discordar, mesmo assim, percebo que está é a mais pura verdade nesses tempos. Estamos virando fariseus.

Atente para o que Jesus diz:

“Ao ensinar, Jesus dizia: ‘cuidado com os mestres da lei. Eles fazem questão de andar com roupas especiais, de receber saudações nas praças e de ocupar os lugares mais importantes nas sinagogas e os lugares de honra nos banquetes. Eles devoram as casas das viúvas, e, para disfarçar, fazem longas orações. Esses receberão condenação mais severa! ’.” Marco 12.38-40
                Eu estive meditando sobre o que Jesus fez por nós, o seu amor manifestado na cruz, a fé que foi colocada em nossos corações, e a justificação que Ele nos deu. 
 Sim somos justificados em Cristo, não apenas perdoados, mas justificados, é incrível recebemos isso, mas não agimos como deveríamos. A justificação não é somente o perdão alcançado, mas carregar em nós os ensinamentos e imitar as obras de quem nos justificou, para que possamos agir com justiça, não uma justiça vã, mas justiça de Cristo.
                Os profetas Isaias, Jeremias e Amós, vão falar sobre um quarteto vulnerável da bíblia, que são: viúvas, pobres, órfãos e imigrantes, eles vão dizer várias vezes que devemos ajudar e acolher essas pessoas. Jesus em seu ministério também diz o mesmo, porém parece que nós esquecemos estas coisas.
                Quando olho para as palavras do evangelho de Marcos 12.38-40, fico pasmo por que a visão que se tem do Reino hoje é esta. As pessoas estão muito preocupadas em aparecer nas suas igrejas cantando, pregando, sendo lideres, e se preocupam muito pouco com a missão do reino de Deus, que não é apenas pregar o evangelho, mas é também, trazer dignidade aos que precisam. Ambos devem andar juntos, é impossível pregar para uma pessoa faminta e não dar alimento a ela. O apóstolo Thiago vai dizer que está fé que temos é “morta”, de nada vale.  
                 Parafraseando um pastor amigo que diz: “a maioria se preocupa em ser uma estrela numa noite sem nuvens”, ou seja, todos querem os 15 minutos de fama. E isso me leva a pensar, estamos ou não, mais preocupados com uma boa aparência diante das pessoas que nos cercam? Irmãos, acredito que devemos buscar mais de Deus a cada dia que se passa, porém é impossível dizermos que temos fé nEle e não ajudarmos os necessitados.

Peço a Deus, hoje, que isto mude em nossos corações.
                                                                                                                                                       PAZ!

segunda-feira, 26 de março de 2012

Filhos Pródigos

                A parábola do filho pródigo nos mostra que temos dois exemplos de crentes que vivem e experimentam a convivência com pai.

                O primeiro filho é o que pede a sua parte da herança, e logo após pega suas coisas e vai embora da presença do pai, sabemos que ele desperdiça tudo e fica na estrema miséria a ponto de querer se alimentar com as bolotas dos porcos então percebe a que ponto foi capaz de chegar, para sentir tal desejo, e, portanto reconhece que fez pouco caso de seu pai e resolve voltar para casa, e sem nenhum ressentimento o pai o recebe de volta e o restitui como seu filho amado.

                O segundo filho é o que permanece com pai, e fica ao seu lado o tempo inteiro, no entanto existe um interesse do segundo filho em permanecer com o pai, atente para os seguintes versículos de João 15.25 a 32 que dizem:

“E o seu filho mais velho estava no campo; e, quando veio e chegou perto de casa, ouviu a música e as danças. E, chamando um dos servos, perguntou-lhe que era aquilo. E ele lhe disse: Veio teu irmão; e teu pai matou o bezerro cevado, por que o recebeu são e salvo. Mas ele se indignou e não queria entrar. E, saindo pai, instava com ele.

Mas, respondendo ele, disse ao pai: Eis que te sirvo há tantos anos, sem nunca transgredir o teu mandamento, e nunca me deste um cabrito para alegrar-me com meus amigos. Vindo, porém, este teu filho, que desperdiçou a tua fazenda com as meretrizes, mataste-lhe o bezerro cevado.

E ele lhe disse: Filho, tu sempre estás comigo, e todas as minhas coisas são tuas. Mas era justo alegrarmo-nos e regozijamo-nos, porque este teu irmão estava morto e reviveu; tinha-se perdido e foi achado.”

                Como podemos ver temos dois tipos de crentes acima os que pegam as suas coisas e abandonam o Pai e os que ficam com ele por interesse. Hoje o que mais temos nas nossas igrejas são pessoas desse tipo a procura do que podem reconquistar ou adquirir na casa do Pai.

                Essa parábola nos mostra que somos completamente ingratos com Deus, pois temos abandonado a sua presença e quando estamos nela continuamos muitas vezes por motivações erradas, esquecemos que fomos reconciliados com Deus pela sua infinita misericórdia e Amo. Sim o Amor de Deus por nós é que nos gera vida e vida com abundancia.

                Essa passagem como disse tem dois extremos os quais se refere aos dois irmãos, mas ainda existe um extremo maior que estes, o Amor do pai pelos dois filhos e esse é o único extremo que importa Deus cuida dos dois filhos. Essa é a mensagem de esperança do Evangelho, então se você se encontra como um dos filhos saiba que Deus esta cuidando de você. Ele nos ama, mesmo quando erramos Deus nos mostra o quanto cuida de nós.

“Obrigado Deus pelo seu eterno cuidado por nós.”

Anunciando a mensagem do Reino

Anunciando a mensagem do Reino

“E dizia: O reino de Deus é assim como se um homem lançasse semente à terra, e dormisse, e se levantasse de noite ou de dia, e a semente crescesse, não sabendo ele como.”

MARCOS 4.26-27

                Nesse trecho das Escrituras, Jesus nos ensina como é feito a propagação do reino de Deus, o evangelho é anunciado e por si só começa a gerar frutos para o reino, a Palavra de Deus é transformadora, mas o que muitos de nós não entendemos é que o evangelho tem a ação transformadora, às vezes, achamos que somos nós que fazemos, nós que convertermos, mas só a uma pessoa que pode gera essa ação transformadora do evangelho, e essa é a pessoa do Espírito Santo, por que: “Ele vem para nos convencer do pecado, da justiça e do juízo.” (João 16.8)

                Falando dessa maneira parece que não precisamos anunciar o reino de Deus, certo? Errado! A imensa necessidade de anunciar o evangelho por que esse é o dever de todo cristão e essa é a ordem que Jesus nos dar em Marcos 16.15.

                O que nós precisamos entender é que Deus faz a semente do evangelho germinar, experimentem perguntar a um agriculto o que ele faz após plantar a semente, obviamente muitos pensam logo em_ vai colher a semente, mas atente para o período que ele espera a semente germinar se transforma numa arvore e começar a gera frutos, então qual será a resposta? Esta é obvia não faço nada, o máximo a ser feito é tomar os devidos cuidados para que ela germine e mesmo assim não terá o controle para saber se ira germinar ou não. O que Jesus nos ensina é que devemos plantar a semente do evangelho e começar a fazer discípulos (Matheus 28.19), precisamos entender que é Ele quem cuida de todos é Ele quem vai fazer a semente germinar. Há um tempo estive acompanhando um jovem e investia bastante tempo nele, ainda invisto, mas ao longo do tempo observei que não estava dando resultado, mas o tempo se passou e hoje e se tornou um jovem exemplar, aprendi que da pior maneira que é Deus quem faz com que a pessoa seja enxertada na videira, que é Cristo, é Deus que faz com a pessoa seja participante do Reino de Deus, temos que aprender que a semente é jogada, mas nem sempre germinara.

                Hoje nós temos a tremenda urgência, que é: anunciarmos o evangelho, temos que continuar fazendo isso, Inácio de Loyola diz: “Trabalhemos como se tudo dependesse de Deus e oremos como se tudo dependesse de nós”, é aqui que encontramos o ponto ch ave do evangelismo oração, quando oramos e pedimos a Deus sabedoria para estarmos anunciando a sua mensagem Ele nos impulsiona a estar pregando o evangelho, que são às boas novas do Reino de Deus.

domingo, 15 de janeiro de 2012

Amados por Deus

Amados por Deus

“Eu sou do meu amado, e Ele me deseja.”

Cantares de Salomão 7-10

Há poucos dias estive lendo um livro que me chamou muita atenção, pois o autor usou um versículo que fez com que eu refletisse bastante o qual está acima “Eu sou do meu amado, e Ele me deseja”. Este versículo me fez pensar quão grande é o amor de Deus por cada um de nós, por mais que eu venha sempre falando nos texto a respeito do amor de Deus que nos comprou com seu sangue naquela cruz, esse versículo de Cantares de Salomão me fez pensar de forma diferente em relação ao amor do Pai. De uma coisa tenho plena certeza, Deus tem um anseio de estar junto de nós, ter uma relação de Pai e filho, por isso Jesus veio ao mundo para nos reconciliar com Ele.

Às vezes, para alguns de nós, se torna um pouco difícil enxergar Deus como Pai, tenho visto que alguns irmãos têm essa imensa dificuldade;  talvez por algum trauma de infância, ou por não conhecer seu próprio Pai biológico, ou seja, sem referencial paterno; mas mesmo com essas dificuldades pode ter certeza que Deus te vê como filho, ou melhor, Ele te adotou e quer ter um relacionamento com você. Em Gálatas 4:5-6 diz: “Para remir os que estavam debaixo da lei, a fim de recebermos a adoção de filhos. E, por que sois filhos, Deus enviou aos vossos corações o Espírito de seu Filho, que clama: Aba Pai”. Fomos feitos filhos de Deus através do sacrifício de Jesus Cristo. Jesus nos ensina que Deus é Pai, e exemplifica isto através da oração do Pai nosso, onde Ele começa: “Pai nosso que estás no céu...” e continua sempre se referindo a Deus como Deus Pai. Hoje, cada um de nós, fomos feitos um com Deus para que tivéssemos comunhão com Ele, pois todos estávamos destituídos da glória de Deus, mas através de Cristo fomos reconciliados e ganhamos um Espírito que clama Aba Pai.

Criando um relacionamento com Deus: hoje você e eu temos um livre acesso a presença de Deus, podemos estar junto dele o tempo todo, vivemos integralmente no Santo dos Santos, mas muitas vezes não valorizamos estar junto de Cristo e nos encarceramos em nossas próprias vontades. Como disse acima, Deus nos Ama, e quando penso nisso me vem a cabeça uma frase de um poeta português que diz:

“Amor é estar-se preso por vontade...”

Luis de Camões

Se fossemos trazer isso para um âmbito espiritual significaria que Deus escolheu te amar e estar preso a você assim como um pai é preso ao seu filho, mesmo sabendo que o filho não lhe dá atenção ou conversa com ele, mesmo nesse caso o pai fica a espera do filho para se relacionar com ele, novamente, assim é Deus conosco, estamos distantes, mas Ele continua a nos esperar. Muitas vezes reservamos um pequeno momento de diálogo com Ele, geralmente fazemos de tudo e por último nos lembramos de Deus. Isso! Quando lembramos, precisamos orar mais, buscar mais a Deus e ter um verdadeiro relacionamento com Ele. Pense comigo, a bíblia nos mostra que Deus nos elegeu desde antes da fundação do mundo para que andássemos com Ele. Imagine se Ele parasse para pensar em nós depois de tudo que fora fazer? Esse trecho nos mostra que antes da criação o Pai já estava cuidando de nós, o salmista afirma que desde o ventre de sua mãe o Pai já cuidava dele, meu irmão isso é amor de Deus, isso que está sendo escrito aqui não é para dizer que você é importante para Deus, mas sim que Ele te ama. Amar é diferente de ser importante, o que tento a dizer é o seguinte, nós somos totalmente dependentes de Deus, mas Deus não depende de nós, Ele continua sendo Deus independente do homem, mas amar é uma escolha feita por Deus para com os seus, ou seja, Deus nos ama e que ter um relacionamento conosco.





“Que a graça do Eterno esteja sempre presente em nossas vidas e nos mostre o quanto somos dependentes de Deus e nos faça viver para honra e glória do Seu nome.”

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

A maldição que era para nós Ele levou sobre Si.

“Pois todo os que são das obras da lei estão debaixo da maldição. Porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer na prática dessas coisas escritas no livro da lei.
É evidente que ninguém é justificado diante de Deus pelas obras da lei, por que o justo viverá pela fé.
A lei não vem da fé, ao contrário:
O que fizer estas coisas terá vida por meio delas.
Cristo nos regatou da maldição da lei, tornando-se maldição em nosso favor, pois está escrito:
“Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro.”
Gálatas 3: 10-13
Sabemos que amor de Deus tem nos gerado vida. E amor de Deus por nos fez com que Cristo fosse sacrificado para morrer no madeiro, ou seja, carregar a maldição que era para nos hoje me faço à seguinte pergunta: será que tenho valorizado o sacrifício de Cristo?
Como cristão hoje tenho visto muitas pessoas vivendo de uma forma que não agrada a Deus não falo isso só dos outros, mas também de mim, pois também sou pecador, más quando olho para a cruz fico refletindo o quanto a humanidade foi longe em seus pecados para levar o filho de Deus ao calvário e o quanto Deus foi capaz de nos amar para salvar-nos de nossos pecados, acredito que precisamos tomar consciência do sacrifício de Cristo. Muitas pessoas hoje têm criado outros bezerros de ouro como na época de Moises, hoje um dos maiores bezerros que temos é a benção, a vitória, o bem estar, acreditamos que Deus esta a nossa disposição para fazer a nossa vontade. Hoje a sociedade cristã tem se preocupado muito com o próprio bem estar, em realizar eventos para cristãos que muitos das vezes não promovem a pregação do evangelho e acaba promovendo entretenimento, distração. Quando olho para cruz vejo o que Cristo sofreu para que eu e você tivéssemos vida sinto a necessidade de proclamar o evangelho a outras vidas, pois da mesma maneira que reconheço o meu salvador tenho e a necessidade de falar dele e apresentá-lo aos outros para que assim como eu sou levado ao arrependimento outros também possam ser para que se convertam ao evangelho.
Há algumas semanas esta com minha esposa na moto, dirigindo, e tinha uma frase em um carro que estava a minha frente que me chamou a atenção “Viver com Cristo é andar no Stilo”, o único problema é que estava num Fiat Stilo até é um pouco irônico, mas o grande, porém não é a frase esta no corro, mas sim o que ela quer transmitir, ou seja, uma vida com Cristo.
Para termos esta vida, primeiro precisamos reconhecer o quanto somos pecadores, miseráveis e totalmente dependentes de Deus, vamos para der pensar em nos mesmo e passemos a pensar nos nossos irmãos que estão perdidos sem Jesus hoje temos a oportunidade de estar falando de Cristo para outras pessoas, então que façamos isso sejamos missionários onde moramos, onde trabalhamos, estudamos, nas nossas casas mostremos ao mundo como é bom ter um Deus que nos ama e que nos permite  chamá-lo de Pai, que foi  capaz de dar  seu próprio filho por amor de nos.
Valorize a vida que Deus te deu para estar anunciando o evangelho.
Oro para que Deus nos impulsione a estar vivendo uma cristã sadia, para que cada um de nos venhamos a fazer a diferença no meio em vivemos, peço a Deus que nos revele a sua palavra e que alem disso nos faça viver ela.

“Que a graça do Eterno esteja sempre presente em nossas vidas e nos mostre o quanto somos dependentes de Deus e nos faça viver para honra e gloria do Seu nome.”

domingo, 13 de novembro de 2011

Vivendo em Santidade

  “Como filhos obedientes não vos amoldem aos desejos que tínheis em tempos passados na vossa ignorância.
Mas sede vós também santos em todo vosso procedimento, assim como é santo aquele que vos chamou... ”
                                                                                                                    (1° Pedro 1: 14 e15) 

Santidade é um termo que me causa muito temor e nos torna convencidos de que estamos no caminho certo. Então por que não andamos de acordo com o termo de santidade que a Palavra de Deus estabelece para que andemos?
  Uma coisa que tenho aprendido é a necessidade de nos colocarmos sob as escrituras para que a palavra de Deus nos mostre quem realmente somos, o que muitas vezes não fazemos. Por quê? Simples estamos interessados em nosso bem estar, no nosso conforto, o famoso comodismo. Esquecemos que Cristo deixa um exemplo a ser seguido e alem disso uma ordem para ser vivida por cada um de nos, ele nos diz:
“Aquele que quiser me seguir negue se, pois a si mesmo tome a sua cruz e siga-me.”
O que temos feito?Será que temos vivido de acordo com essa ordem ou deixamos nos levar pelos nossos desejos?
 O que devemos fazer?
Devemos andar de acordo com a Palavra obedecendo à risca o que a Palavra de Deus nos manda fazer, mas como, amando uns aos outros para que haja maior comunhão entre os membros do corpo de Cristo amemos a Deus acima de todas as coisas e a sua Palavra que é soberana por que está escrito: “se dissemos que amamos a Deus mais não amamos os nossos irmãos mentimos para nos mesmo por que quem ama a Deus ama seu irmão”. Um dos maiores segredos em relação a santidade é o amor, por que não adianta ajudar o próximo, vir a igreja e ofertar para obra. Se não tiver amor nada vai adiantar, a prática de santidade é andar de acordo com a Palavra de Deus sabendo que é a única coisa que pode nos santificar no decorrer das nossas vidas, a Palavra de Deus é viva e eficaz transforma todo coração e todo entendimento e é a única coisa capaz de nos mostrar quem realmente somos e que somos totalmente dependentes da misericórdia divina.
Ser santo é andar de acordo com os ensinamentos de Cristo, viver verdadeiramente o “vinde após mim e fazei as obras que eu faço”, andar em unidade um para com os outros sabendo que fazemos parte do corpo de Cristo e acima de tudo sermos propagadores do evangelho do reino de Deus evangelistas apaixonados por vidas que hão de encontrar com o Evangelho de Cristo e serão transformadas para glória do Eterno.
O apostolo Pedro nos deixa uma recomendação:
“Portanto, deixando toda maldade, todo engano , fingimento, inveja e toda difamação , desejai o puro leite espiritual, como bebês recém nascidos, a fim de crescerdes para salvação.”
(1° Pedro 2: 1e2)
Por isso vivamos de acordo com o Evangelho de Cristo que através de seus apóstolos tem nos ensinado mediante a sua Palavra. Pois aquilo que de graça recebemos, de graça devemos passar adiante, para que Deus seja glorificado.
 Se houver dificuldade saiba que Deus te ajudara, pois o próprio Cristo nos ensina que é Ele que nos santifica através de sua Palavra.
“Que a graça do Eterno esteja sempre presente em nossas vidas e nos mostre o quanto somos dependentes de Deus e nos faça viver para honra e gloria do Seu nome.”